[FECHAR]

06/07/2008

# Diana Palmer # Julia Cartão Postal

Diana Palmer - Um verão para amar - Julia Cartão Postal 46

Leituras de Carol nº 18 (Um verão para amar - Diana Palmer)

Quando Diana Palmer não parece Diana Palmer!!!!


Como estou pegando os livros mais antigos da minha pilha resolvi dar uma chance a um dos poucos da Diana Palmer que não li. Peguei "Um verão para amar" – Julia Cartão Postal 46 (México).

Sinceramente, nem parece Diana Palmer, a mocinha Janine Curtis não é como as outras heroínas da Diana Palmer, ela tem profissão própria e se orgulha muito dela. Como escritora de livros de terror ela tem imaginação de sobra, isso sem falar que ela sabe caratê e já foi detetive particular. Claro... ela ainda é virgem (afinal todas as mocinhas da Diana são, por favor se eu tiver errada alguém me corrija). Canton Rourke como todo mocinho que se preze é arrogante, acha que sabe tudo, mas... como está falido e na busca por sua fortuna de volta, ele até que tem alguns momentos de humildade (risos).

Quando li minha imaginação fértil pensou.... "A Diana não escreveu esse livro... ele é de outra pessoa e ela só colocou seu nome" kkkkkkkkkkk


No geral é um livro bem humorado e nem tão dramático quanto os outros da tia Palmer. Só para vocês sentirem o "drama" uma passagem emblemática.

O irmão mais novo da mocinha (com 12 anos) tinha "sumido" com a filha do mocinho (11 anos). Como todo macho arrogante que se preze Canton imaginou que o menino fosse filho da Janine. Detalhe... Janine tem 24 anos.

"Admiro sua calma! Não sei como permite que seu filho perambule por api como um delinqüente juvenil! E logo com minha filha! – esbravejou ele.

....

Filho?

- Espere um pouco... – ela tentou protestar

- Seu marido, onde está? – o estranho interrompeu-a

- Não sou casada! – respondeu ela, os olhos soltando faíscas.

- Oh.

Janine corou quando as sobrancelhas espessas ergueram-se expressivamente. As suposições maldosas daquele homem e seu desprezo a enfureceram.

De repente uma idéia lhe ocorreu. Riu baixinho.

- Sei o que deve estar pensando, e não é da sua conta. Mas para sua informação, saiba que meu filho nasceu numa comunidade. Na verdade, não tenho certeza de quem seja o pai.

A expressão de espanto dele foi impagável. Janine desejou de todo o coração estar de posse de uma câmera para fotografá-lo e rever a cena toda vez que desejasse dar boas risadas"

4 comentários:

  1. Ah, esqueci de dizer...
    Li este livro há quase um século atrás...
    Quando nem me ligava em Diana Palmer!
    hihihihi

    ResponderExcluir
  2. Quando as mocinhas da Diana não é virgem é viuva sem experiencia ou foi violentada, mas na maioria é virgem...acho legal! E procuro sempre ter um livro dela na minha pilha, esse eu não tenho...

    ResponderExcluir

POR ONDE AS ROMÂNTICAS PASSARAM