24/04/2009

# Clássicos Históricos # Família Griffin

Leituras de Carol nº 156 (Suzanne Enoch - Como fisgar um marido)

2º livro da Família Griffin

Bem aqui temos a história de Zachary, o mais novo dos 3 homens do clã e como todo homem mais novo da família ele é quase sempre subestimado e por isso se torna efetivamente um bon vivant.
Sebastian como o grande chefe do clã (tá parecendo coisa de índio e escocês, mas é isso mesmo), resolve dar uma incumbência para Zach, acompanhar a tia em uma viagem.
Eis então que eles param no Solar do Whitfeld e lá Zach tem uma surpresa. O casal tem "simplesmente" sete filhas, isso mesmo sete filhas em idade para casar e seis delas, é claro, caem matando em cima do "pobre", lindo, atlético e maravilhoso Zach.

Mas como toda pessoa teimosa, Zach só tem olhos para Caroline (claro... com um nome lindo desses, risos) que quer somente pintar o retrato dele e não tem interesse de casar.

Só pelo preâmbulo creio que dá para perceber que gostei mais desse, por vários motivos:
1 - O belíssimo nome da mocinha (oh! que coincidência é igual ao meu)
2 - Adoro mocinhos que percebem que sua vida atual é uma droga e se tornam úteis.

E além do mais esse livro é engraçado, pensem em 6 mocinhas casadoiras tentando chamar a atenção, elas fizeram até uma agenda para cada uma ter a chance de "aproveitar" o Zach.

Gostei do relacionamento dos dois... e da forma como Zach se dá conta da vida inútil que ele levava.

Recomendo.

Que venha o livro do Charlemagne (Shay) que ainda nem chegou nas bancas daqui... mas eu tenho paciência.

Resumo:

Inglaterra, 1812

Infalível sedução!

Para Zachary Griffin, nada pode ser mais interessante do que ensinar às lindas irmãs Witfeld algumas técnicas especiais para conquistar o coração de um homem e levá-lo ao altar... Além disso, instigar a encantadora Caroline à tentação será incrivelmente delicioso! Caroline é a mais inteligente e a menos fútil das irmãs, mas Zachary ainda não se deu conta de que os insistentes olhares dela nada têm a ver com atração e sim com a oportunidade de ser admitida num ateliê de arte. Se ela conseguir retratar na tela aquele rosto másculo, aquela expressão aristocrática e aqueles ombros fortes, talvez seu sonho se torne realidade. Caroline, porém, logo começa a ter outro tipo de sonho. um que envolve o charmoso Zachary e um comportamento não muito apropriado para uma dama dedicada à sua arte... a menos que ela se dedique à arte de amar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POR ONDE AS ROMÂNTICAS PASSARAM