21/01/2011

5

Diana Palmer - Quando o inverno chegar - Harlequin Desejo 64 Ed. Especial


Leituras de Carol nº500

Título original: If winter comes

O carismático prefeito de Phoenix, Bryan Moreland, já havia conquistado a devoção dos eleitores, e estava a caminho de conseguir o voto da repórter Carla Maxwell… até ela descobrir que o adorado líder não era tudo que proclamava ser. Havia suspeitas de que ele estivesse envolvido em fraudes. Como repórter, ela teria que investigar o assunto a fundo. Como mulher, seu desejo era se atirar nos braços do sexy prefeito. Ou será que ele a seduzia por motivos alheios ao coração?


E olha eu depois de MUITO tempo ler algo da Diana Palmer (o que a Maratona de Banca não faz né gente?!)
  e ela ainda "dá sorte" de ser meu 500º post.

Eu tive uma fase em que li uns 20 livros dela em sequência, aí tive que parar e ler outras coisas, mas continuei comprando os livros (dessa nova safra da Harlequin tenho quase todos). Dentro tantos que tenho da Tia Palmer escolhi este para a Maratona de Banca porque a mocinha é repórter e também porque NÃO é em Jacobsville (risos!)


Bem... ler Diana Palmer sempre suscita algo dentro da leitora, seja amor, ódio, revolta... não se fica indiferente lendo Diana Palmer. E creio que um dos motivos seja: apesar de escrever após a revolução feminina, Diana insiste em manter características anteriores a esta revolução em seus personagens (sejam masculinos ou femininos).


Desta feita... eu me revoltei com a atitude "vou me manter virgem" da Carla, cada vez em que ela falava do assunto eu pensava "então as outras são umas putas, safadas, tal e coisa".


Defendo que a mulher decida se vai se manter virgem ou não, mas a cada palavra colocada na boca da personagem feminina não era só de defender seu ponto de vista, mas de depreciar as outras mulheres que decidiram aproveitar os "prazeres da carne" sem a instituição do casamento.


Bryan Moreland? Bem... ele é carismático, bonito e tudodebomgostosoehot, mas claro que ele não seria só tudo isso, tendo sido criado pela tia Diana Palmer. A esposa (ele hoje é viúvo) não era uma adepta da monogamia e o traiu várias vezes. Isso, é claro, o deixou ressabiado com relação as mulheres.


Outra coisa, hellooooooooooooo independente de ser virgem ou não, pegue leve caro Mr. Moreland. O homem ia num ímpeto tão grande que por mais de uma vez machucou os lábios da "virgenzinha" (risos).


Mas tirando toda essa minha tese feminista (risos), a leitura flue bem. As questões profissionais de cada um são até que bem retratadas e próximas da realidade.

5 comentários:

  1. Coitadaaaaaaaaaaaaaaa, não sabe ela a coisa boa que está perdendo, fato! rsrsrs

    Diana incita amor ou ódio, com ela é difícil ter meio termo, estou no grupo das que gostam, embora quase sempre tenha vontade de dar supapos no mocinho por arrogante e na mocinha por ser tão tapada.

    ResponderExcluir
  2. PQP, ela as vezes DP viaja na maionese, juro que gostaria de conhece-la para saber o que tem dentro da sua cabeça..rs. Admito, eu gosto dos trogloditas que ela cria, as mocinhas cabeça dura, mas mocinha metida a santa é foda..rs Eu tenho esse livro e vou ler, para dar a minha opinião tb..rs
    Bjos

    ResponderExcluir
  3. DP: ame ou deixe! kkkkkkkkkkkkkkk. Tenho esse livro, pq a outra história é um Hómi do Texas, dos famosos Irmãos Hart... Ai ai. Bjs. Ah, toda Carla é meio confusa mesmo. Ririri!

    ResponderExcluir
  4. Oie Carol!

    Parabéns pelas 500 resenhas!!! \o/ Porque viciado pouco é bobagem! hauhauha

    Ah, tia DP na área! A mulher é maluquinha da silva sauro e nós tomos todas pinéis por continuarmos lendo-a!

    Fala série, né? Ela tem cada mocinha/mocinho vilões da novela das 8!! nhummmm!

    ResponderExcluir
  5. Pois é, titia Palmeirão causa esse efeito em nós, kkkkkk
    Eu adooooro!!!!

    ResponderExcluir