21/03/2012

0

Audrey Niffenegger - A Mulher do Viajante no Tempo - Editora Suma



Leituras de Rebecca nº 10
Título Original: The Time Traveler's Wife 

A Mulher Do Viajante No Tempo conta a história do casal Henry e Clare. Quando os dois se conhecem Henry tem 28 anos e Clare, vinte. Ele é um moderno bibliotecário; ela, uma linda estudante de arte. Os dois se apaixonam, se casam e passam a perseguir os objetivos comuns à maioria dos casais: filhos, bons amigos, um trabalho gratificante. Mas o seu casamento nunca poderá ser normal.

Henry sofre de um distúrbio genético raro e de tempos em tempos, seu relógio biológico dá uma guinada para frente ou para trás, e ele então é capaz de viajar no tempo, levado a momentos emocionalmente importantes de sua vida tanto no passado quanto no futuro.

Causados por acontecimentos estressantes, os deslocamentos são imprevisíveis e Henry é incapaz de controlá-los. A cada viagem, ele tem uma idade diferente e precisa se readaptar mais uma vez à própria vida. E Clare, para quem o tempo passa normalmente, tem de aprender a conviver com a ausência de Henry e com o caráter inusitado de sua relação.




Este foi o livro perfeito para ler antes do Dia dos Namorados (14 de fevereiro). Fiquei interessada quando vi o trailer do filme e descobri que tinha o livro.


Clara é uma menina com um amigo não muito comum: ele tem 40 e poucos anos, as vezes está nu (calma gente! Eu explico já já!), chamado Henry e ele diz que vem do futuro. Parece loucura mas é verdade: ele é o seu futuro marido e tem viajado no tempo - contra sua vontade - e começou a visitar Clara quando ainda era criança.


Clara cresce antecipando as visitas de Henry. Ele se transforma em seu amigo e confidente. Enquanto ela cresce, cresce também a ansiedade para saber mais sobre sua vida e como eles vão se encontrar, ele tem o cuidado de não divulgar nada que possa acelerar seu fatídico encontro em tempo real, com a versão atual de si mesmo que não tem idéia quem ela é. Que loucura hein?

Henry aparece pelado num lugar sempre desconhecido e ele sempre tem que arrumar alguma coisa pra vestir, evitar televisões e qualquer coisa que dê dicas sobre o "quando" que ele está. Clara é sua constante (Lembram de "Lost"? E de "A Origem"?) e sempre que ele viaja sabe que ela está por perto, mas nunca sabe em que idade vai encontrá-la e evita de todo jeito dar dicas a ela de como eles vão se conhecer. 

A natureza por trás das viagens no tempo podem parecer confusas. Mas eu estava tão envolvida na história de amor que isso não atrapalha.
E que história de amor linda! É muito bem escrito, com a quantidade certa de drama e emoção. E Clara, depois de conhecer o Henry do tempo atual dela, está dividida entre seus sentimentos por este jovem irresponsável e o Henry maduro de seu futuro. 

Clara e Henry tem essa missão, amar e ser amado. Este livro foi tal uma montanha-russa de emoções. Vale a pena ler.

0 comentários:

Postar um comentário