19/03/2012

# Clássicos Históricos Especial # Históricos e/ou de Época

Maratona de Banca - Jackie Ivie - A Dama da Água - CHE 368



Leituras de Flavinha nº 258

Escócia, 1141
Ela vive para curar... Ele luta para matar... ...E um único amor rege a ambos! Ele é alto, grande e forte... Mais que isso, ele é o inimigo. Isto, por si só, deveria ser suficiente para que Aislynn saísse correndo para longe do homem ferido na floresta. Mas ele precisa de ajuda... e a recompensa que ele oferece mudará a vida de Aislynn para sempre... Rhoenne Guy de Ramhurst foi presenteado com um feudo, e com a árdua incumbência de controlar seus rebeldes habitantes, além de ter de enfrentar os dissidentes liderados por seu irmão, no castelo. Nenhum desses desafios, no entanto, se compara aos esforços para esquecer a linda e graciosa curandeira que salvou sua vida e capturou seu coração... Rhoenne acredita que uma maldição de família coloca qualquer mulher que ele ame em perigo mortal. Quando Aislynn é raptada pelo irmão dele, Rhoenne se torna seu protetor, mas ainda assim continua resistindo à tentação que ela representa...

Então, a Rebecca me emprestou esse livro há um tempinho e assim, estava meio que protelando a leituras, sabe? Aí quando veio a proposta da Maratona de Banca do mês de março - Mocinho ou Vilão? -  pensei vou colocar ele para me obrigar a ler, mas já achando que não iria gostar. Ledo engano! 


Esse livro é simplesmente maravilhoso! Me arrependo de não ter confiado na resenha da Rebecca eter deixado esse livro de lado. Vai ser impossível você não se apaixonar pela  Aislynn. Vai ser impossível você não se apaixonar pelo Rhoenne. Vai ser impossível você não chamar a  Aislynn de tapada. Vai ser impossível você não chamar o Rhoenne de idiota. E claro, vai ser impossível você não notar o inconveniente Montvale.


É um histórico delicioso, que não é óbvio (ao menos não o bastante para desanimar), cheio de reviravoltas e em alguns momentos de dar uma aperto no coração. Recomendo muito!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POR ONDE AS ROMÂNTICAS PASSARAM