30/04/2012

0

Kat Martin – O rapto de Velvet – Clássicos Históricos Especial 337 - Maratona de Banca 2012




Leituras de Carol nº 635
Título original: Nothing But Velvet

Refém ou amante?...
Para salvar a família da ruína, Velvet Moran está disposta a renunciar a seus sonhos românticos e casar-se com o implacável duque de Carlyle. Mas em vez de esposa de um aristocrata, ela se vê refém de um notório salteador de estradas... e sua resolução de fugir do covil de seu raptor na floresta enfraquece diante da forte atração que ele lhe desperta.
Injustamente acusado de assassinato, Jason Sinclair volta em segredo à Inglaterra para provar sua inocência e impedir que se realize o matrimônio que o impossibilitaria de recuperar o ducado que lhe foi roubado. Fazendo-se passar por um fora da lei, Jason decide raptar a linda noiva e mantê-la em seu poder pelo tempo que for necessário. Mas será ele capaz de refrear a paixão que tomou conta de seu coração, e que poderá pôr a vida de ambos em perigo?

Sempre ouvi falar muito bem da Kat Martin e a Maratona de Banca é sempre a “desculpa” perfeita para ler alguns dos livros que ficam aguardando na ENORME montanha de livros.

Mas vamos a história.

Jason foi envolvido em um ardil pelo irmão mais velho, foi acusado e preso de ter matado o pai de ambos. Apesar das agruras conseguiu fugir da prisão e foi para os Estados Unidos, onde sofreu muito, mas também conseguiu fazer fortuna.

Agora ele está de volta e quer vingança. Já tinha conseguido minar o irmão em suas propriedades e comprar suas dívidas. Só faltava o toque final: impedir que ele se casasse com uma rica herdeira.

Esse “poço de dinheiro” (afinal é assim que os ricos são vistos por aqueles que precisam do vil metal hahaha) e Velvet, que de rica não tem nada (risos), as aparências é quem salvam a família Moran de ser uns pobretões.

Jason sequestra Velvet para impedir o casamento, mas Velvet não é daquelas mocinhas complacentes, mimadas e irritantes. Ela tenta fugir várias vezes, até que descobre a identidade do seu captor e resolve ajudá-lo.

Claro que no meio disso tudo os dois se apaixonam e Jason começa a ter crises hamletianas de “ser ou não ser...” (não sou bom o bastante para ela... tenho um passado manchado, tal e coisa). Se a mocinha não fosse obstinada, esse romance não iria para frente.

O vilão? É um caso a parte, ardiloso, quase não deixa ponto sem nó.

Uma coisa que me chamou a atenção na história foram as semelhanças com o grande clássico de Alexandre Dumas, “O Conde de MonteCristo”.

Essa história está interligada ao “Armadilha para um Marquês” que eu tenho e em breve será resenhado aqui.

Litchfield
Nothing but Velvet – O Rapto de Velvet – CHE 337
Silk and Steel – Armadilha para um Marquês – Bestseller 139

0 comentários:

Postar um comentário