27/02/2013

0

Orlando Paes Filho - O Código da Cavalaria - Editora Manole



Leituras de Rebecca nº 39

O autor da conhecida e aclamada série Angus apresenta nesta nova história a busca de valores esquecidos no passado.
O código da cavalaria corresponde, no Ocidente, à beleza e à grandeza de códigos de conduta e honra, como dos samurais e dos monges shaolin.
Este livro trata do Código de Cavalaria medieval, em que se buscavam., além da honra, valores espirituais como: justiça, fé, prudência, caridade, esperança, temperança e fortaleza. Essas virtudes cristãs e, ao mesmo tempo, Universais, moldavam o indivíduo, seu caráter e sua personalidade, visando à busca de Deus e ao convívio com Ele.
Essa busca árdua e pessoal era, ao mesmo tempo, uma tentativa de atingir o Alto e a conscientização do estado de criatura, pertinente ao ser humano. Os anjos são humildes porque são conscientes do seu estado de criatura e conhecem a grandeza de Deus. Os cavaleiros buscavam um estado elevado de dignidade e existência humana. 


Comprei esse livro na Bienal de Salvador, ele estava dando sopa, super baratinho, num dos estandes e eu acho que o vendedor não sabia o que tinha. Comprei sem poder abrir, mas fiquei tão encantada com a arte da capa e a temática que levei sem pensar duas vezes.

Como a obra é do Orlando Paes Filho, eu já sabia que ia ter ilustrações bacanas, mas não tinha ideia da riqueza de detalhes que a obra me apresentou. Cada página foi inspirada naquelas publicações antigas, iluminuras, onde cada cantinho da página é aproveitado com os mais variados adornos, a equipe de arte caprichou e me deu uma segunda impressão maravilhosa. Era como ter uma cópia de um livro antigo, muito legal!

Ainda não tive oportunidade de ler a série de Angus e este livro não faz parte dela, mas é muito bom e com uma temática muito interessante.
O conteúdo do livro mostra um  estudo sobre diversos códigos de cavalaria medieval em sua concepção teórica do que deveria ser. Um conjunto de modos, atitudes e guia de conduta para os cavaleiros honrados e justos. Claro que sabemos que não foi bem assim, sempre tem uma fruta podre né? 

Outro detalhe muito interessante foi que no final do livro tem um "guia" mostrando significados de brasões e outras coisas bem legais e importantes da idade das trevas. Ok, eu sei que o termo "Idade das trevas" não é o correto, mas é um nome muito mais legal rsrsrssrsrsrsrsrs!

Enfim gente, recomendo esse livro para quem curte conteúdo medieval, RPG e aventuras em nome da honra e de Deus (e do poder também). 

0 comentários:

Postar um comentário