08/04/2013

2

Christopher Moore - Um Anjo Burro - Bertrand Brasil



Leituras de Carol nº 706
Título original: The Stupidest Angel


Charles Dickens é passado. Agora é a vez de Christopher Moore! O Natal mais hilário e horripilante da história. Após falar da juventude desregrada de Jesus em O Cordeiro, e de um funcionário da Morte em Um Trabalho Sujo, o cultuado Christopher Moore ataca agora a magia do Natal e o famoso arcanjo Raziel no hilário Um Anjo Burro.

Era noite, quase Natal, e todos em Pine Cove estão ocupados comprando, embrulhando e trocando presentes. Mas nem todos estão no clima para receber o bom velhinho. O pequeno Joshua Barker, de apenas sete anos, está desesperado: precisa de um verdadeiro milagre. Ele tem certeza de que viu o Papai Noel tomar uma pazada na cabeça e agora não faz outra coisa senão rezar para que ele volte dos mortos.

Para compor o elenco do livro, o autor recorreu a personagens tradicionais do Natal, como o Papai Noel e o arcanjo Raziel, e outros nem tão clássicos, como mortos-vivos e um morcego diferente. O filme baseado no livro está com estreia marcada para novembro de 2013.

Esse livro chamou minha atenção na época em que postei os lançamentos de março da Bertrand Brasil por causa dessa fala da sinopse enviada pela editora.

"Após falar da juventude desregrada de Jesus em O Cordeiro, e de um funcionário da Morte em Um Trabalho Sujo, o cultuado Christopher Moore ataca agora a magia do natal e o famoso arcanjo Raziel no hilário Um anjo burro".

Eu já sabia que ia gostar desta história, mas fiquei agradavelmente surpresa com a capacidade de Christopher Moore em criar situações bizarramente engraçadas.  Afinal não estamos falando de uma história onde o Papai Noel, os policiais e o espírito do Natal sejam apresentados da forma mais ortodoxa.

Afinal o policial Theo é viciado em maconha e tem, inclusive, uma plantação enorme. Ele é casado com Molly, uma atriz de filmes B que, quando não toma seus antipsicóticos, incorpora uma de suas personagens mais famosas, Kendra, a Guerreira Gostosa das Terras Distantes.

Foi com a personagen Kendra, ops Molly, em que dei mais risadas, afinal sua conversa com o "Narrador" e sua "fé" no deus Nigoth é tão estranha e tão bizarra que só me restou rir de suas trapalhadas (como cozinhar nua e usar uma espada como ninguém).

O papai noel é o malvado empreiteiro, Dale Pearson, que acaba sendo morto acidentalmente por Lena Marquez, sua ex-mulher, quando ela a pega "tomando emprestado" os pinheiros para distribuir aos pobres.

Na cena do crime, Lena é ajudada por Tucker, um piloto da Agência de Combate às Drogas, que se acha a última coca-cola do deserto e seu morcego frutívoro que usa óculos ray-ban. Além de outros personagens que tornam a história ainda mais pitoresca.

Mas não vamos esquecer do anjo Raziel. Gente! Em cada passagem dele na história eu só lembrava de uma fala do personagem Chaves para o Kiko. "O que você tem de burro, você tem de burro, você tem de burro!" É muita leseira para um anjo só (risos), até as crianças conseguem vislumbrar o que estúpido ele é.

E claro que ele é quem arruma a maior confusão (acharam o que contei pouco? hahahaha tem MUITO mais por aí).

E ainda tem os zumbis! Zumbis em uma história de Natal? É isso mesmo!

Se você tem um pouquinho de humor e não se importa com sarcasmo e situações nonsenses, recomendo muito esse livro.











2 comentários:

  1. Fiquei interessadíssima!
    Não tenho nenhum livro de comédia em minha estante, quem sabe esse não será o primeiro.
    gostei da capa. Esse anjinho de carinha triste e orelhas salientes ficou bem legal.

    ResponderExcluir