[FECHAR]

18/05/2013

# Qual é a frase

Qual é a Frase: Sawyer - Lori Foster




"Qual é a frase?" é uma brincadeira das Românticas. Uma brincadeira simples, nada muito complicado... Quer participar?

É simples. Você vai abrir o livro da semana (Sawyer - Lori Foster) e colocar uma frase que você ache interessante aqui nos comentários.

Livro: Sawyer
Autora: Lori Foster
Número de páginas: 288
Editora: Harlequin Books
Edição: Rainhas do Romance 50
Preço: Na Harlequin por R$12,90
Resumo: Sawyer Hudson, o único médico da cidade, assumiu a responsabilidade de cuidar da bela e enigmática mulher que chegara batendo de frente em sua vida, literalmente. Apesar de saber que deveria manter sua relação com Honey Malone de modo platônico e profissional, perto dela seu corpo demonstrava outras reações? e seu coração se recusava a cooperar. Em fuga de um perigoso perseguidor, Honey havia perdido o controle de seu carro e caído num lago?Até que se viu sendo salva por homens arrebatadores. Depois que seus ferimentos foram curados por Sawyer, Morgan, Gabe e Jordan, Honey tentou ir embora, mas não contava com a teimosia deles. Tampouco coma paixão que nascia entre ela e Sawyer?


* * *

Viu como é fácil? O difícil vai ser escolher entre tantas frases maravilhosas, não é?  Veja abaixo a frase que as românticas escolheram:

Honey vasculhou o rosto Sawyer, e notou sua teimosia, juntamente com determinação férrea. Ela simplesmente não podia discutir com ele. Não agora.


Ah, o Sawyer!!! Que delícia!
Vontade de reler os Irmãos Buckhorn!
E você?
Qual é a frase que destaca nesse livro?

Atenção:

* Não vale repetir a frase.
* Você pode tirar a frase de um e-book.
* Quem deixar uma frase ou comentário vai estar concorrendo a livros e/ou marcadores toda semana.

E quem ganhou com Amante Sombrio foi:




Parabéns a Alexis! 
As @românticas vão te enviar o brinde em até 60 dias, é só mandar seu endereço (em até 5 dias) para mulheresromanticas@gmail.com (Favor colocar no e-mail: Ganhei com frase de Amante Sombrio).


Semana que vem: A Cruz de Morrigan - Nora Roberts


Participem!

16 comentários:

  1. Ain que felicidade!! Eu ganhei!

    ResponderExcluir
  2. Esse meu bom médico saliente!!


    "Sawyer quase sentia vergonha de admitir, até para si mesmo, mas notara de imediato que, devido ao banho, a garota estava com a blusa branca completamente transparente. E não usava sutiã."

    ResponderExcluir
  3. "Sawyer se apercebeu de várias coisas ao mesmo tempo: a respiração suave e acelerada soprando o seu pescoço, o contato das coxas esguias e firmes no seu braço nu, a pressão dos seios através do tecido molhado contra as costelas dele.
    Sawyer sentia o tamborilar estável do coração, e o modo como o corpo da mulher enrijecera quase imperceptivelmente. Sawyer sentiu um formigamento correr pelo próprio corpo, do peito às coxas. Sua reação a essa mulher era desproporcional, considerando as circunstâncias e seu comportamento habitual. Afinal de contas era médico, e numa situação normal nem notaria a aparência de uma mulher durante um exame.
    Neste momento ele não tinha como não notar. Segurar esta mulher em particular era algo completamente diferente."

    ResponderExcluir
  4. "Casey se intrometeu dizendo:
    — Ele é médico, sim. Inclusive, é o único médico em Buckhorn. Algumas das mulheres daqui fingem estar doentes só para vê-lo. — Ele sorriu para ela. — Você não precisa ficar com medo."

    ResponderExcluir
  5. "Então por que Sawyer estava deixando que instintos másculos, que ele nem sabia possuir, ditassem suas ações?"

    ResponderExcluir
  6. "O homem — Sawyer, assim ele dissera que se chamava — pegou uma blusa de malha branca que estava dobrada na beira da cama e a vestiu. A blusa aderiu confortavelmente a ele, moldando ombros e peito. Não era musculoso, mas possuía corpo esbelto, como um atleta. Os ombros largos e sólidos angulavam para uma cintura estreita. O jeans das calças desbotadas abraçava suas co¬xas e moldava o seu..."

    ResponderExcluir
  7. "Sawyer tinha cabelos escuros, da cor do carvão, com olhos penetrantes quase da mesma cor. Os cílios eram pecaminosamente compridos e grossos. Honey também não pudera deixar de notar que ele possuía muitos pelos no corpo. Não excessivamente, mas o suficiente para chamar sua atenção. E claro que ela passara vários minutos pressionada contra aquele peito largo, de modo que teria sido muito difícil não notar. E ele exsudava um cheiro maravilhoso, um perfume único e inebriante de suor másculo limpo, pele aquecida ao sol e mais alguma coisa. Alguma coisa que impregnara a pele e os músculos de Honey."

    ResponderExcluir
  8. "— Meu irmão Morgan, o xerife da cidade.
    Oh, Deus. Um xerife? Quantos irmãos esse tal Sawyer tinha?"

    ResponderExcluir
  9. Sim, minha querida Honey, eles dorme NUS!

    "— Aposto que nenhum de vocês tem um roupão em casa.
    Os três fizeram que não com as cabeças.
    Se Honey não estivesse se sentindo tão mal, ela teria sorrido. E ela definitivamente teria explicado a Sawyer que as roupas com que estava teriam de servir, porque não estava disposta a despi-las.
    — Alguma espécie de pijama?
    Ele obteve respostas como "Você deve estar brincando" e "Nunca usei essas coisas", enquanto Morgan simplesmente riu.
    Espremendo os olhos, Honey pensou, Não, não, eles não estão me dizendo que eles dormem nus! Ela se esforçou ao máximo para não formar imagens mentais, mas es-tava cercada por perfeição masculina em tamanhos e estilos variados, e uma imagem de Sawyer deitado nesta própria cama, pelado como uma estátua grega, despontou em seu cérebro. Ela voltou a se sentir quente e tonta."

    ResponderExcluir
  10. Ele saiu para o corredor, onde encontrou cada um dos irmãos. Até seu filho estava lá, sorrindo de orelha a orelha. Sawyer olhou de cara feia para todos eles enquanto desabotoava e corria o zíper de suas calças jeans molhadas.
    — Vocês não têm nada melhor para fazer?
    — Sim — disse Gabe com um sorriso largo. — Estamos fazendo.
    — Às vezes você é divertido pra cachorro, Sawyer — Jordan acrescentou com uma risadinha.

    ResponderExcluir
  11. — Só que você está agindo como um gamo na temporada de acasalamento. Você está vigiando aquela pobre mulher como se achasse que ela poderia desaparecer a qualquer momento.
    — Você está sendo tão óbvio que parece capaz de marcá-la a ferro.

    ResponderExcluir
  12. Foi só então que Sawyer notou que Morgan estava segurando uma bolsa de mulher.
    — Da nossa hóspede?
    — Hum-hum. Decidi que não gostava do jeito dis¬simulado dela, e como ia ficar aqui, achei que estava no direito de...
    — Você xeretou a bolsa da garota, não foi?
    Morgan tentou parecer insultado, não conseguiu.
    — Só dei uma espiada na carteira dela para ver sua identidade. Sou xerife e tinha justa causa depois de ouvir aquela história sobre ter alguém atrás dela e coisa e tal.
    — E?... — Sawyer precisava admitir que estava curioso. Ele se perguntou se o nome combinaria com a mulher. — Não me deixe em suspense.
    — Você não vai acreditar nisso, mas ela se chama Honey Malone. — Morgan riu. — Nome de mafiosa, não acha?

    ResponderExcluir
  13. Acabei de colapsar....

    Sawyer retirou lentamente os pés da cama e se espreguiçou — bem ali na frente dela, numa impressio¬nante flexão de músculos e tendões que demonstrou toda sua perfeição masculina. Sem nem mesmo pen¬sar no assunto, ela se deitou de costas para observá-lo, mantendo as cobertas no alto do corpo.
    Com um braço sobre a cabeça, ela viu os pelos escuros e sedosos das axilas de Sawyer, a forma como seus bíceps inflavam, e o ouviu resmungar de prazer. Enquanto espreguiçava, o abdômen de Sawyer se contraiu, fazendo com que a cintura das calças jeans se afastassem de seu corpo. A visão de Honey embaçou toda. Sawyer correu ambas as mãos pelos cabelos e sobre o rosto, e então sorriu.

    ResponderExcluir
  14. E havia uma pequena diferença naquela perfeição masculina.
    Certo, não exatamente pequena.
    Ele havia tido uma ereção.
    Honey não quis realmente fitar, mas com Sawyer de pé a apenas um metro e meio da cama e ela deitada com ele tão perto, era muito difícil ignorar a ereção.
    Uma onda de calor explodiu no estômago de Honey, fazendo-a contorcer os dedos dos pés.

    ResponderExcluir
  15. — Todos nós cozinhamos. Como minha mãe gosta de dizer, ela não criou idiotas. Se um homem não sabe cozinhar, principalmente numa casa sem mulheres, ele passa fome.

    ResponderExcluir
  16. Trechinho em que Morgan aparece, nu em pelo e empunhando um revólver:

    — Morgan, largue essa arma.
    — Como é só você, vou fazer isso. Quero dizer, faria, se tivesse algum lugar para alojar a arma. — Honey pôde ouvir o humor na voz dele, e gemeu novamente.
    Sawyer murmurou uma queixa baixa.
    — Você poderia ao menos vestir uma cueca.
    — Seu eu soubesse que vocês estavam apenas trocando uns amassos na cozinha, eu teria feito isso! Mas como diabos eu iria saber? Ela gritou, Sawyer. Quero dizer, eu sabia que você anda enferrujado, mas deve ter perdido completamente o jeito pra coisa.

    ResponderExcluir

POR ONDE AS ROMÂNTICAS PASSARAM