20/09/2013

# HOT # Leituras de Carol

Sasha Grey - Juliette Society - Quinta Essência


Leituras de Carol nº 743



Se eu te contasse que existe um clube secreto, cujos membros pertencem à classe mais poderosa da sociedade – banqueiros, milionários, magnatas da mídia, CEO’s, advogados, autoridades, traficantes de armas, militares condecorados, políticos, oficiais do governo e até mesmo o alto clero da Igreja Católica –, você acreditaria? Este clube se reúne sem regularidade, em um local secreto. 

Às vezes em locais distantes e às vezes escondidos. Mas jamais duas vezes no mesmo lugar. Normalmente, nem mesmo duas vezes no mesmo fuso horário. E esses encontros, essas pessoas... não vamos enrolar, vamos chamá-las do que são, os Mestres do Universo. Ou o Braço Executivo do Sistema Solar. Então, essas pessoas, os Executivos, usam os encontros como uma válvula de escape do cansativo e estressante negócio de estragar ainda mais o mundo e criar novas maneiras sádicas e diabólicas de torturar, escravizar e empobrecer a população. E o que eles fazem em seu tempo livre, quando querem relaxar? Deveria ser óbvio. Eles fazem sexo.

Solicitei a leitura deste livro a parceira Quinta Essência porque o blog não se nega a ler algo no gênero erótico (adoramos um livro hot! risos) e esse foi escrito por uma ex-atriz pornô.

Em sua primeira incursão na literatura, Sasha Grey conta a história de Catherine, uma estudante de cinema que leva uma vida que podemos considerar boa. O namorado (com quem ela mora junto) Jack é assessor político de um candidato a senador e cada dia fica mais distante por causa do trabalho. Essa distância faz com que Catherine tenha fantasias com um dos professores do curso e é através dela que conhece Anna. Anna vive sua sexualidade livremente e gosta de sexo não convencional. A convivência com a nova amiga faz com que Catherine comece a questionar seus desejos e anseia em viver de forma mais plena a sua sexualidade. 

Nas saídas com Anna ela conhece a Juliette Society. Na tal sociedade, pessoas que fazem parte da elite econômica, política, militar e até religiosa se reúnem em locais secretos para aliviar, realizando seus desejos sexuais mais intensos e obscuros. Catherine se vê cada vez mais envolvida, e mais consciente, das suas aspirações sexuais, mas mal sabe ela que vai descobrir algo que não esperava.

Bem... na teoria a história parece boa, mas a narrativa não me envolveu, Sasha Grey faz com que Catherine divague muito, foram páginas e páginas falando sobre o professor gostoso, sobre chamar pênis de pau ou piru e sobre alguns clichês sobre homens e mulheres e isso faz com que o ritmo da história se perca.

As cenas de sexo? A exemplo da narrativa, também não me envolveram... ficou faltando aquele toque que faz o leitor se envolver e acreditar no que está acontecendo, eu fiquei com a sensação de assistir um filme pornô (daqueles sem história mesmo, só com o vuco-vuco) onde só vejo e penso "Ah! é isso", sem nenhum entusiasmo.

Eu gostei das vinculações entre algumas passagens da história (principalmente com o filme "Bela da Tarde" de Luiz Buñuel) e outros cineastas cultuados (Hitchcok, Stanley Kubrick), mas mesmo gostando achei um pouco forçado, como se a autora quisesse dizer "Olhem, tenho cérebro, assisti grandes filmes e sei interpretá-los, sou mais que um corpo".

O livro no geral é fraco. Ainda bem que não tinha muitas expectativas com o livro, pois se as tivesse teria saído muito frustrada. Lembro também que essa é a MINHA opinião sobre a obra, outras pessoas podem achar a história muito boa. 

Uma coisa que SEMPRE me deixa chateada é quando as editoras, distribuidoras de livros e filmes (para dar um up no produto) fazem comparações e na capa desse tem “Destinada a ser a próxima El James” (do Best-seller 50 tons de cinza)"  Sinto informar que esse tipo de publicidade não me atrai, em alguns momentos faz até com que eu fuja de alguns filmes, livros, entre outros. Nesse caso não fugi logo de cara por ser um livro hot, pois até o momento não me senti encorajada a ler a famosa trilogia dos 50 tons. 




Aos 25 anos de idade, Sasha Grey, nome artístico de Marina Ann Hantzis, é uma das estrelas mais premiadas da indústria pornográfica dos Estados Unidos, mesmo depois de anunciada sua aposentadoria, em 2011.  A ex-atriz diz que pela primeira vez teve liberdade para criar seu próprio mundo e seus próprios personagens. "Não estou interessada em revolucionar o gênero do romance erótico, mas quero levá-lo de volta à origem, com um tratamento lascivo do sexo, particularmente da sexualidade feminina, como algo misterioso e sensual", afirma.


Juliette Society será lançado em mais de 40 países e em breve chegará às salas de cinema, em acordo firmado com a 20th Century Fox.

Vão fazer um filme? Sei...
Sinto que vão fazer uma versão bem no estilo daqueles que passavam (ou ainda passam) no Cine Privé exibido pela Bandeirantes (risos).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POR ONDE AS ROMÂNTICAS PASSARAM