18/11/2013

# Adolescentes # Fiona Wood

Fiona Wood - Seis coisas impossíveis - Novo Conceito


Leituras de Carol nº 759
Título original: Six Impossible Things

Dan Cereill levou um encontrão da vida: seu pai faliu, assumiu que é gay e separou-se de sua mãe, tudo de uma vez só. Enquanto isso, sua mãe recebeu de herança uma casa tombada pelo patrimônio histórico que cheira a xixi de cachorro, mas que não pode ser reformada...
E, agora, Dan está vivendo em uma casa-relíquia que parece um chiqueiro, com uma mãe supertriste e sem conseguir falar com o pai — que ele ama muito.
Suas únicas distrações são sua vizinha perfeita, Estelle, e uma lista de coisas impossíveis de fazer, como:
1. Beijar a garota.
2. Arrumar um emprego.
3. Dar uma animada na mãe.
4. Tentar não ser um nerd completo.
5. Falar com o pai quando ele liga.
6. Descobrir como ser bom e não sair abandonando os outros por aí...

Mas impossível mesmo será:
1. Não torcer para que Dan supere seus problemas.
2. Não rir muito com os devaneios dele.
3. Não querer ter um cachorrinho como Howard.
4. Não desejar que a mãe de Dan encontre a felicidade.
5. Parar de ler este livro.
6. Não querer abraçar o livro depois de tê-lo terminado...

Ao ler a sinopse já imaginei que seria um bom livro. Tenho gostado desse estilo "vida real" que alguns livros adolescentes trazem. Me senti assim quando li dois do Markus Zusak (ainda preciso ler o terceiro da trilogia), mas voltemos ao livro em questão.

Dan está às vésperas do seu aniversário de 15 anos e para "inaugurar" seu inferno astral, teve uma reviravolta na vida. O pai assumir que é gay e deixou a família, antes disso o negócio dele faliu. Para que a situação não ficasse tão desesperadora a mãe recebeu uma casa de herança e é lá que eles vão morar. 

Entre a mudança de bairro e estilo de vida Dan ainda tem que se adaptar a uma nova escola e como toda "boa" escola os grupos estereotipados (o valentão, os nerds, as líderes de torcida, etc). E para coroar ele se apaixona pela vizinha Estelle. 

Fiona nos traz o dia-a-dia de um rapazinho que vive suas primeiras dificuldades misturadas com a ebulição que é estar aos 15 anos. A narrativa dela encanta, os diálogos são fáceis e não tem como não gostar ,e em alguns momentos de identificar, com os pensamentos de Dan (e suas listas).

Nada contra adolescentes no mundo sobrenatural, mas como disse no início as narrativas que conseguem me prender são aquelas que acabam mostrando a "vida como ela é".


Um comentário:

  1. Quero muuuuito o livro, me atraiu muito a sinopse e gostei da sua resenha haha
    Beijos.
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

POR ONDE AS ROMÂNTICAS PASSARAM