26/04/2016

# Diana Palmer # Harlequin

Diana Palmer - Rosas de Inverno/Tempo de Sedução - Rainhas do Romance 106

Leituras de Flavinha nº 606

Rosas de Inverno
Em uma noite agitada, Stuart York não consegue resistir à tentação e toma Ivy Conley em seus braços. A intensa paixão os deixa desorientados. Contudo, Stuart acredita que Ivy é uma jovem problemática assim como a irmã, sempre nas capas dos jornais como pivô de escândalos. Por isso, decide se afastar, deixando-a com o coração partido. Anos mais tarde, Ivy está de volta à cidade, decidida a ser tratada como a mulher independente na qual se tornou. Para sua surpresa, Stuart insiste em ser seu protetor, porém, a batalha mais difícil que Ivy enfrentará será contra o desejo que ainda sente por Stuart!
Tempo de sedução
O que Millie Evans deseja no Natal? Ficar a salvo! Antes de morrer, seu perseguidor contratou um assassino profissional para matá-la. Agora sua vida está nas mãos hábeis do agente especial Tony Danzetta, o homem que jurara protegê-la… e por quem Millie sempre nutriu uma paixão. Quando Tony decide levá-la para sua casa a fi m de mantê-la em segurança dia e noite, Millie começa a sonhar que poderá tê-lo, definitivamente, ao seu lado.

Achei a primeira história até bonitinha. O Stuart não é tão cavalgadura quanto os outros mocinhos da Diana Palmer. Apesar de que ele se apaixona pela Ivy quando ela é novinha (as virgens estão difíceis de achar, então elas tem que ser cada vez mais novas eu acho) e por conta da idade e de algumas mentiras da irmã dela ele a afasta. 

E o reencontro não é "alguns anos depois" como diz a sinopse. Só se passam DOIS anos e ele já acha que ela está madura o suficiente pra ele degustar a fruta. No geral não tem muito conflito entre os personagens, ela só falta pisar o chão que ele pisa. Ele apesar de algumas merdas que faz, gosta dela.

A segunda história é pequena, quase um conto, e temos um cavalgadura em todo seu esplendor. Também por contas de mentiras, dessa vez de um amigo psicopata e abusador que diz que Millie é uma safada devoradora de homens, Tony já chega dando patada a torto e a direito na coitada.

Coitada porque a figura é apaixonada por ele desde sempre, e o homem demora pra ver que ela é inocente. Óbvio que depois ele se arrepende e tenta salvar ela. O final é tão "fuém" que voc~e fica sem saber qual é o sentido.

Não sei se estou sem paciência para Diana Palmer, se peguei os livros em um mau dia ou se as histórias são chatas mesmo. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

POR ONDE AS ROMÂNTICAS PASSARAM