[FECHAR]

03/08/2011

# Black Dagger Brotherhood # HOT

J. R. Ward – Amante Liberto – Universo dos Livros


ATENÇÃO ESTA RESENHA CONTÉM SPOILERS

Leituras de Flavinha nº 300
Título original: Lover Unbound

Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, a guerra explode entre vampiros e seus assassinos. Há uma Irmandade secreta, sem igual, formada por seis guerreiros vampiros, defensores de sua raça. O coração gelado de um predador será aquecido mesmo contra a sua vontade...

Destemido e brilhante, Vishous, filho de Bloodletter, possui uma maldição destrutiva e a capacidade assustadora de prever o futuro. Criado no campo de guerra de seu pai, ele sofreu maus tratos e abusos físicos e psicológicos. Membro da Irmandade, ele não se interessa por amor nem emoção, apenas pela batalha com a Sociedade Redutora. Mas quando uma lesão mortal faz com que fique sob os cuidados de uma cirurgiã humana, a Dra. Jane Whitcomb, ele é levado a revelar a dor que esconde e a experimentar o verdadeiro prazer de pela primeira vez... Até que o destino, que V. não escolheu, o leva para um futuro do qual Jane não faz parte.

Para comemorar minha resenha de número 300, uma resenha bombástica em forma de cartinha para a autora!

Querida J.R.Ward

Eu consegui entender que não era para o Vishous e Butch ficarem juntos. Consegui aceitar que o lance deles não era pra ser (mesmo que no fundo ache que você amarelou) e quando li Amante Revelado você conseguiu me convencer do amor do Butch pela Marissa. Quando li Amante Liberto então, eu realmente achei que tinha me enganado e que o V e o Butch não dariam certo. Você conseguiu encontrar uma Shellan a altura do Vishous e eu estava amando o livro até... o tiro. PQP! WTF? Transformar a Jane em um fantasma não foi realmente sua maior idéia. É estranho, e na linha dos livros da Irmandade mais esquisito ainda... Li numa entrevista que você gostaria de ter explicado melhor esse lance da Jane, aumentando uns capítulos no livro, acho que não iria adiantar. O que eu acho mais engraçado, é que as pessoas tinham horror a um relacionamento “homo” (Que eu acreditei que seria algo mais amplo “Butch – Marisa – Vishous”, tipo um "Ménage à trois"), mas conseguem entender esse relacionamento entre um vampiro TDB da Irmandade com um fantasma.

Quanto a “vaca” da Virgem Escriba, eu ainda estou passada em como a criatura conseguiu fazer tanto mal ao Vishous. E aí, na hora que ela podia se redimir, tipo dando ao Vishous o que ele mais queria (tipo fez pra Mary e o Raghe) ela faz um sacrifício (bem fraquinho, vai!) e presenteia o filho com o Gasparzinho. Choquei! Poxa, Ward! Acho que essa sua implicância com o Vishous foi longe demais!

Pior é saber que vou continuar lendo a série (por que não tenho forças para me afastar dos Adagões!) e ter que me conformar com a Shellan do Vishous assombrando a mansão pra lá e pra cá. Triste realidade. Eu não tenho mais salvação. Que venha o Phury.

P.s = Eu sou fã da Irmandade da Adaga Negra, amo todos os Irmãos! Amei o Vishous, a história dele e o livro Amante Liberto. O meu problema foi somente com o final.

P.s¹ = Preferia a Marisa com os dois (tipo mulher dos Colters) a um fantasma na vida do V... mas, quem manda é a Ward e a editora dela!

P.s² = Esse post expressa a minha opinião sobre o livro. A opinião da Carol você lê aqui: Amante Liberto

P.s ³ = This spartaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!

10 comentários:

  1. Sabe que eu também preferia que houvesse algo mais entre o V e o B?? Ficou fraca essa história de fantasma... abre muito o leque de possibilidades, faz parecer que tudo é possível...
    Fazer o que né??rss...
    beijos,
    Dé...

    ResponderExcluir
  2. Ménage à trois??? Tá danadinha nesses livros, rs. Meus 'demônios do mundo Subterrâneo' são + comportados, se for comparar, hahaha.

    ResponderExcluir
  3. Li o livro recentemente e gostei, não tanto quanto dos outros, mas fazer o que... Nem podia ser diferente, sou apaixonada confessa por IAN. Amo as cenas sensuais, super elaboradas e intensas... ui!
    Este não foi meu livro favorito, o fato de focar tanto em Phury e John... acho dois chatos. O final para o casal me surpreendeu muito também e decepcionou demais. Poxa, o cara já tinha sofrido horrores, precisava mais desse carma???
    Bjkas,

    Monique Martins
    MoniqueMar
    @moniquemar

    ResponderExcluir
  4. Ah, eu gostei!!! Foi "jeitinho" que a Ward acho pro V e a Jane ficarem juntos forever, hehe. Claro que eu preferia uma outra saída milagrosa, mas dadas as opções......
    E mais pra frente a gente vai vendo mais desse relacionamento deles. Dá até pra (quase) esquecer que ela é um Gasparzinho, kkkkkkk
    Já pra mim, antes um ghost do que um Ménage, mais isso pq sou possessiva. Do tipo: "1 pra 1" e "3 é demais", hehe.

    Ah, e eu chorei horrores lendo esse livro.... ainda bem que o li na cama, daí já tinha o lençol pra secar as lágrima, rs....

    Ótima resenha, Flavinha, como sempre!!!!

    ResponderExcluir
  5. Não li ainda!!!! Tô loca!!!!

    ResponderExcluir
  6. Ward não me decepcionou no caso V/B (graças!). Eu ia broxar na hora e não leria mais nada da série. Tb não concordo com o fato de 3 num mesmo espaço, portanto amei B e Marissa e V e Jane. Mais ainda depois que li o livro 9, da Payne e do Manello. Vampiro gay não dá, ne? Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Lá vou eu outra vez. Beem eu gostei dela como fantasma simplesmente porque eu amo fantasmas,uma das pontas da minha triade favorita, e sinto falta deles, poxa tem vampiros e lobos em várias séries mas os fantasmas estão órfãos de boas estórias. Também acho que assim resolve o fato dela como humana não viver tanto quanto ele. Não acho que ela amarelou não, o B é apaixonado pela Marissa desde o 1º livro, também não acho que Marissa e V se complementasse ou se atraíssem de alguma forma. Toda vez que vejo o Quin e o Blay mais me convenço que eles foram feitos um pro outro, muito diferente de quando V se apaixonou pelo B.

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Só li o primeiro livro dessa série e já me enamorei.
    Agora que ler todas a coleção... nem sei como farei.kkk
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  9. Concordo contigo, Flavinha, a respeito do final da Jane como fantasma. Achei que a Ward viajou longe demais.Tb achei meio forçado a Jane ter ficado tão dependente, aceitando ficar com V, abandonando a carreira dela, etc.Claro que como fantasma isso ficou mais fácil de ser explicado.
    Não queria que o Butch ficasse com o V. Sendo machos alfa como eles, seria difícil explicar a homossexualidade. Acreditar numa amizade forte e fraterna como a deles é preferível.Acho que torço mais pelo Blay e pelo Quin nessa questão, mas não sei se a Ward vai ter coragem de encarar essa relação. Muito provável que não. Será?
    Adorei a tua cartinha e principalmente o final: This is Sparta! rsrsrs...
    Beijos, querida!

    ResponderExcluir
  10. Esta é uma série que eu sou louca para conhecer, e ainda não li nadinha! Bjs, Rose.

    ResponderExcluir

POR ONDE AS ROMÂNTICAS PASSARAM