16/02/2017

0

Kristin Hannah - As cores da vida - Arqueiro


Leituras de Ilca #10

As irmãs Winona, Aurora e Vivi Ann perderam a mãe cedo e foram criadas por um pai frio e distante. Por isso, todo amor que elas conhecem vem do laço que criaram entre si. Embora tenham personalidades bastante diferentes, as três são inseparáveis. Winona, a mais velha e porto seguro das irmãs, nunca se sentiu em casa no rancho em que a família vive há gerações e sabe que não tem as qualidades que o pai valoriza. Mas, sendo a melhor advogada da região, está determinada a lhe provar seu valor.
Aurora, a irmã do meio, é a pacificadora. Ela acalma as tensões familiares e se desdobra pela felicidade dos outros – ainda que esconda os próprios problemas. E Vivi Ann é a estrela entre as três. Linda e sonhadora, tem o coração generoso e indomável e é adorada por todos. Parece que nada dá errado em sua vida. Até que um forasteiro chega à cidade...

Então tudo muda. De uma hora para outra, a lealdade que as irmãs sempre deram por certa é posta à prova. E quando segredos dolorosos são revelados e a cidade é abalada por um terrível crime, elas se veem em lados opostos da mesma verdade.

As cores da vida é o tipo de obra que aperta seu coração a cada palavra lida. Durante a trajetória das irmãs Aurora,Vivi Ann e Winona até os momentos mais calorosos pareciam não ter espaço frente ao nó permanente que ficava em minha garganta.

Rodeadas pela simplicidade da vida do campo em Water's Edge,as três vêem sua vida se modificar completamente a partir da morte da mãe ainda na infância. Apesar da tragédia se, precedentes,o que realmente altera totalmente a vida das irmãs é uma carruagem de sentimentos obscuros que invade o coração de uma das irmãs.

Aprendemos com a dor dos múltiplos desfechos da obra que pequenos atos de sinceridade - mesmo precedidos de uma boa dose de coragem - perdão e solidariedade são capazes de inibir grande parte das situações que ceifam os melhores sentimentos humanos.

Principalmente em uma cidade como Oyster Shores, na qual o achismo sobre a vida alheia parece algo nato dos habitantes.Muitas vezes essa vida pública de cidade pequena se mostra como um antagonista para o desenvolvimento particular das pessoas.

O amor de Vivi Ann, Dallas e mais tarde Noah não precisa apenas sobreviver aos - absurdos - preconceitos existentes,ele tem que vencer o muro da descrença e caminhar por suas próprias pernas.Será que essas pernas aguentam? Será que um dia tudo será esclarecido? Será que a verdade vencerá o ultimato feito por falhas humanas?

0 comentários:

Postar um comentário