[FECHAR]

01/08/2017

# Clare Swatman # Editora Arqueiro

Clare Swatman - Meus dias com você - Arqueiro



Leituras de Ilca #27

Quando o marido de Zoe morre, o mundo dela desaba. Mas e se fosse possível tê-lo de volta?
Numa fatídica manhã, Ed e Zoe têm uma discussão terrível, algo recorrente no seu casamento em crise, e ela acaba se despedindo de forma brusca quando ele sai para o trabalho.
Pouco tempo depois, um ônibus acerta a bicicleta de Ed, matando-o e deixando Zoe arrasada por não ter lhe dito quanto o amava. Se tivessem ficado mais um pouco juntos aquela manhã, ele ainda estaria vivo? Será que poderiam ter reconstruído o amor que os unira?
Após dois meses, Zoe ainda não conseguiu se conformar. De luto, decide cuidar do jardim do marido, quando acaba caindo e desmaiando. Então, algo estranho acontece: ao acordar, ela está em 1993, no dia em que conheceu Ed na faculdade.
A partir desse instante, Zoe passa a reviver momentos cruciais de sua vida e percebe que talvez tenha conseguido uma segunda chance: uma oportunidade de fazer tudo diferente, de focar naquilo que realmente importa, de mudar os rumos do relacionamento – e, quem sabe, o destino de seu grande amor.

E quando o livro começa com o final de uma vida? Pronto,esse susto inicial foi o que eu senti ao me deparar com Zoe sofrendo pela trágica morte de seu marido Ed. Bem no dia em que eles discutiram antes do trabalho - e foi a última vez que Zoe o viu vivo - ele foi atropelado por um ônibus. Eu Envolta pelo sofrimento completo, Zoe vê sua existência ficar sem sentido.

"Zoe olha para a inócua caixa de madeira e pensa que é impossível acreditar que o corpo do seu marido,tão forte,tão vibrante,tão alegre,esteja mesmo ali. É totalmente irreal."

Entre antidepressivos e uma rotina vazia de vivacidade Zoe sofre um acidente no jardim - o orgulho e a alegria de Ed - e acorda em uma situação completamente inesperada. Sem entender o porquê e nem como, ela acorda em sua a antiga casa e se depara com o dia em que saiu para sua nova residência universitária. Zoe acordou no dia exato em que conheceu seu então falecido esposo.

Ao longo da trajetória Zoe percebe que sempre acorda em um dia decisivo na vida dos dois e, sendo assim, acaba tentando fazer algo para mudar o destino mortífero - que ela já vive? - do amor se sua vida. Entre sustos e êxtases ao encontrar seu Edward novamente, Zoe se depara com situações que foram definham o relacionamento dos dois. 

Fertilidade, sonho diferentes, talvez a perda do sentido da vida já estava acontecendo há muito tempo...questões jogadas no tapete destruíram os sentimentos mais puros entre os dois. Não há como não sofrer com as perdas que parecem inevitáveis, ao mesmo tempo em que não dá para não ter esperança ao ver um desfecho diferente para pequenas situações diárias.

Não sabemos o que vai acontecer no momento seguinte, talvez sequer estejamos aqui. O que sabemos é que temos o agora para viver e amar em plenitude. Errar, perdoar, consertar, gritar. Tudo faz parte da nossa vã existência. Só não podemos fechar os nossos olhos e valorizar aquilo que tanto amamos só quando nos deparamos com a perda irreparável. E se o seu Edward for te encontrar hoje pela primeira vez?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

POR ONDE AS ROMÂNTICAS PASSARAM